Criar uma Solution para WSS 3.0

O WSS 3.0 inclui uma nova forma de empacotar componentes criados por developers num único ficheiro, designado solution file. Trata-se de um ficheiro com extensão .WSP que não é mais que um ficheiro CAB. Neste pacote podemos colocar features, assemblies, site definitions, list definitions, web parts e outros ficheiros necessários ao funcionamento do componente, tornando-o reutilizável e permitindo que seja o próprio WSS a colocar tudo no lugar adequado.

Principais Vantagens

  • Instalação e desinstalação do componente de forma simples, já que o SharePoint é que coloca os ficheiros nos locais correctos.
  • Pacote reutilizável, com tudo o que é necessário num único ficheiro.
  • Numa farm multi-servidor, permite a instalação automática em todos os servidores a partir de um único ponto.
  • Permite localização, ou seja, criação de componentes multi-língua.

Como se cria uma Solution?

Criar uma solution implica três passos:

  1. Criar o manifest.xml
  2. Estruturar as pastas e os ficheiros que compõem a solution
  3. Transformar a estrutura de pastas e ficheiros num único ficheiro com extensão .WSP

Criar o manifest.xml

O centro da solution é o ficheiro manifest.xml que deve ter obrigatoriamente esse nome e estar localizado na raíz da estrutura de pastas. Este ficheiro refere todos os ficheiros que fazem parte da solution bem como o local onde devem ser instalados. Qualquer ficheiro que não esteja referido no manifest.xml não será instalado.

Um exemplo de um ficheiro manifest.xml seria

<?xml version="1.0" encoding="utf-8" ?>
<Solution
  xmlns=http://schemas.microsoft.com/sharepoint/
  SolutionId
="42CEA020-72FC-4eea-8AD2-D2176BCB00B6"
 
ResetWebServer="TRUE">
  <Assemblies>
   
<Assembly DeploymentTarget="WebApplication" Location="MyLocalAssembly.dll" />
   
<Assembly DeploymentTarget="GlobalAssemblyCache" Location="MyGlobalAssembly.dll">
     
<SafeControls>
        <SafeControl
         
Assembly="MyGlobalAssembly.dll"
         
Namespace="MyNamespace"
         
TypeName="MyClass"
         
Safe="TRUE" />
      
</SafeControls>
   
</Assembly>
  
</Assemblies>
 
<FeatureManifests>
   
<FeatureManifest Location="MyFeatureName\Feature.xml"/>
 
</FeatureManifests>
 
<TemplateFiles>
   
<TemplateFile Location="Images\MyIcon.gif"/>
   
<TemplateFile Location="Layouts\MyCustomPage\MyPage.aspx"/>
 
</TemplateFiles>
</Solution>

A secção <Assemblies> define que assemblies instalar nos servidores e onde. Cada elemento <Assembly> descreve um assembly e o seu atributo DeploymentTarget indica se este deve ser instalado na GAC (se tiver o valor GlobalAssemblyCache) ou na pasta BIN da web application (se tiver o valor WebApplication). O atributo Location indica o local do assembly na origem (estrutura de ficheiros do pacote WSP) e no destino (na estrutura de ficheiros do servidor). Isto é particularmente importante no caso dos assemblies que devem ser instalados localmente, na pasta BIN da web application. Isto porque se o assembly não estiver na raíz do pacote a estrutura de pastas será replicada dentro da pasta BIN.

Quando um assembly representa uma web part ou um user web control, é necessário colocar uma entrada no web.config do SharePoint na secção SafeControls. Para o fazer automaticamente basta colocar o elemento <SafeControls> dentro do elemento <Assembly> em causa (ver exemplo acima).

A secção <FeatureManifests> indica que features devem ser instaladas no servidor, sendo cada uma representada pelo elemento <FeatureManifest>. Mais uma vez, o atributo Location indica o local do assembly na origem (estrutura de ficheiros do pacote WSP) e no destino (interior da pasta …\12\TEMPLATE\FEATURES) portanto, na estrutura de ficheiros do pacote WSP, as features têm que estar cada uma na sua pasta (com o nome da feature) que, por sua vez, tem que estar na raíz da estrutura de ficheiros. Dentro dessa pasta, como é exigido para todas as features, tem que existir um ficheiro Feature.xml que descreve a feature e respectivos elementos.

Todos os ficheiros referidos no Feature.xml ou nos ficheiros dos seus elementos são automaticamente processados pelo SharePoint no âmbito da solution, portanto não é necessário referi-los no manifest.xml. Esta é a excepção à regra de que apenas os ficheiros referidos no manifest.xml serão processados pelo SharePoint.

A secção <TemplateFiles> indica que ficheiros devem ser copiados para os servidores, para a pasta …\12\TEMPLATE. Cada elemento <TemplateFile> indica um ficheiro e o seu atributo Location, como descrito para outros elementos acima, indica o local do ficheiro na origem (estrutura de ficheiros do pacote WSP) e no destino (interior da pasta …\12\TEMPLATE). No exemplo acima, serão copiados dois ficheiros para a estrutura de ficheiros do SharePoint:

  • O ficheiro MyIcon.gif, cujo local no WSP é \Images\MyIcon.gif, será copiado para
    …\12\TEMPLATE\Images\MyIcon.gif
  • O ficheiro MyPage.aspx, cujo local no WSP é \Layouts\MyCustomPage\MyPage.aspx, será copiado para
    …\12\TEMPLATE\LAYOUTS\MyCustomPage\MyPage.aspx

Qualquer uma destas secções é opcional numa solution, foram usadas aqui a título de exemplo por serem também as mais comuns. Existem outras secções úteis para o deployment de ficheiros que podem ser consultadas no SDK do WSS 3.0.

Estruturar as pastas e os ficheiros

A estrutura de ficheiros da solution tem que estar de acordo com o que foi especificado no manifest.xml. No caso do exemplo acima e assumindo que a feature tem um elemento descrito num ficheiro Element.xml, a estrutura deve ser a seguinte:

manifest.xml
MyLocalAssembly.dll
MyGlobalAssembly.dll
MyFeatureName\Feature.xml
MyFeatureName\Element.xml
Images\MyIcon.gif
Layouts\MyCustomPage\MyPage.aspx

Criar o pacote WSP

O pacote WSP é um ficheiro CAB e, como tal, a sua estrutura assenta num ficheiro .DDF (Diamond Definition File) que é depois passado como parâmetro para a ferramenta makecab.exe criar o pacote. O ficheiro .DDF tem uma sintaxe semelhante à de um ficheiro .INF. Para o exemplo acima, o conteúdo deste ficheiro deve ser o seguinte:

; HEADER
.OPTION EXPLICIT
.Set CabinetNameTemplate=MyPackage.wsp
.Set DiskDirectoryTemplate=CDROM
.Set CompressionType=MSZIP
.Set UniqueFiles=Off
.Set Cabinet=On

; ROOT FOLDER
manifest.xml manifest.xml
MyLocalAssembly.dll MyLocalAssembly.dll
MyGlobalAssembly.dll MyGlobalAssembly.dll

; FEATURE FOLDER
.Set DestinationDir=MyFeatureName
MyFeatureName\Feature.xml Feature.xml
MyFeatureName\Element.xml Element.xml

; IMAGE
.Set DestinationDir=Images
Images\MyIcon.gif MyIcon.gif

; PAGE
.Set DestinationDir=Layouts\MyCustomPage
Layouts\MyCustomPage\MyPage.aspx MyPage.aspx

O caracter ponto-e-vírgula indica se trata de um comentário. A zona do cabeçalho é constante para todos os ficheiros deste tipo, com excepção da variável CabinetNameTemplate que deve ter o nome que se pretende dar ao pacote WSP. As restantes linhas listam os ficheiros que devem ser incluídos no pacote indicado em cada uma a localização do ficheiro (pathname completo incluíndo nome do ficheiro) seguida de um espaço e do nome do ficheiro. Quando se pretende especificar uma pasta de destino dentro do pacote, usa-se a variável DestinationDir atribuindo-lhe o caminho desejado.

No exemplo acima, os ficheiros manifest.xml e os dois assemblies são colocados na raíz (não foi especificada nenhuma pasta de destino). De seguida é especificada a pasta de destino /MyFeatureName e dentro desta serão colocados os ficheiros Feature.xml e Element.xml. É ainda colocada uma imagem em /Images e uma página aspx em /Layouts/MyCustomPage.

Para criar o ficheiro WSP (e assumindo que o ficheiro DDF se chama MyPackage.ddf) basta executar: makecab.exe /f MyPackage.ddf.

Nota: o meu colega Raúl Ribeiro colocou no seu blog uma forma de automatizar esta última fase do processo, através de um template de projecto para o Visual Studio 2005. Vejam aqui.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *